quem estou?

Minha foto
sobre os delírios me deito.....a cama desalinhada me enruga... acordo em seguida.... num pulo percebo que delirar é estar sóbria e ser sóbria é estar atenta aos canais pro delirio do amor que tem no mundo

Visitas ao atalho

click tracking

não há nada de errado com o verão, só o outono que parece apressado

há somente um enfeite nos olhos...o olhar

há somente um enfeite nos olhos...o olhar

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

O Erotismo tira telhados e confunde as mulheres


"-.....Precisava de um abrigo pra tempestade que estava
se formando dentro de mim, mas o mundo carece de abrigos, quando fui em um lugar com endereço (in)certo o telhado ainda estava sendo reformado, começaram a pingar umas gotas largas de forte desinteresse, de repente xoxotas abertas caíam de nuvens hedonistas...saí correndo...pois não queria levar uma xoxotada na cara...poutz e eu que estava na sala do abrigo à espera de um chá verde. Desliguei o telefone, desliguei a tempestade, antes confesso que
senti minha lágrima salgadinha, liguei no fim de Morangos Silvestres e depois caí no sono....



VS


....Precisava de uma briga, de uma tempestade, eu estava em reforma na parte de dentro, e precisava de abrigo no mundo, já que por dentro não me suportava....

Fui, depois de escolher no susto, ao primeiro endereço que me (in)cluiria, e vi que o telhado ainda e também, estava sofrendo um reconstrução, assim como eu e minha parte de dentro....Claro que estava em reforma, sempre estaria, era o telhado do mundo, o teto do universo.

E eu o que era?

Embaixo do mundo, eu?

Eu era o que havia aprendido a ser.Desde qdo desprevinida ,apanhara uma tempestade de xoxotas, por isso q precisava de uma briga...Aquela tempestade me molhara pra sempre, a partir dalí passei a existir diferente, passei a sofrer pq o telhado do mundo não estava ao meu alcance, e qdo a antena entortava e a televisão insistia no canal aberto, eu não conseguia assitir o que me agradava e ficava reclamando da imagem q estava aberta....eu tinha medo do céu,também tinha medo da reforma na parte de dentro.Eu ficaria hospedada ali no telhado do mundo só até o fim minha reconstrução, só até o canal fechar .....Depois ahhhh.....depois....... como seria bom voltar pra dentro de mim , pro meu egoísmo que me esperava emocionado.Ele sim me aceitava,me amava, me entendia...que saudade de ser mesquinha, era tão fácil ser eu mesma diante do meu egoísmo.

Aí conheci o amor....Só que o amor amava o mundo e eu ficava reclamando do canal aberto,reclamando todo tempo.....o amor cansou, pegou suas estórias e foi dividir com o mundo, ja que eu não gostava das estórias nem do amor no mundo.------------------------------------------------

Um comentário:

estudiomoon disse...

Amei,voce ja agilisou toda a pagina,ta linda a sua pagina,vai sair varios livros daqui que eu to até vendo!!!sucesso sempre,minha poetisa preferida!!!
beijocas
Aluá